no

Número de testamentos teve aumento de mais de 40%, no primeiro semestre de 2021

Pessoas, na faixa de 30 a 40 anos, têm cada vez mais buscado informações a respeito de testamentos, como uma das formas de planejamento patrimonial e sucessório

Conforme dados do Colégio Notarial do Brasil (CNB), neste primeiro semestre de 2021, o número de testamentos lavrados em cartório aumentou 41,7%, na comparação com o primeiro semestre do ano passado. Apenas no Estado de SP, foram 5.335 testamentos lavrados nos primeiros 6 meses deste ano, contra 3.933 testamentos na primeira metade do ano passado. A principal causa deste aumento expressivo, por óbvio, resulta do crescente número de óbitos oriundos da pandemia de COVID/19. Outrossim, de acordo com o CNB, a possibilidade de lavratura de testamentos públicos de forma virtual/online foi outro ponto que levou ao número recorde de testamentos lavrados no país.

Outro ponto de destaque é o aumento do número de testamentos entre pessoas jovens, algo incomum antes da pandemia. Segundo aponta o CNB e se constata na experiência diária dos escritórios especializados, é cada vez mais comum que pessoas, na faixa de 30 a 40 anos, busquem informações a respeito de testamentos, como uma das formas de planejamento patrimonial e sucessório.

Para o especialista Ulisses Simões da Silva, advogado do LO Baptista, sob este aspecto, é importante frisar que o testamento é ferramenta importante no planejamento patrimonial de qualquer pessoal, como forma de garantir que os seus bens sejam atribuídos/divididos conforme a sua livre vontade após o seu falecimento, e não apenas de acordo com o que a lei impõe. “Também vale destacar que, embora a pessoa possa fazer um testamento sem a intervenção de um advogado, entendemos que é fundamental que a pessoa conte com assessoria especializada, de modo a conferir eficácia plena ao documento e garantir que a real vontade da pessoa seja observada integralmente quando de seu óbito”, explica o advogado.

Ulisses Simões da Silva é advogado, Pós-graduado pelo Complexo Jurídico Damásio de Jesus nas áreas de Direito Civil, Empresarial e Processual Civil. Graduado pela Universidade de São Paulo (USP).

Escrito por Redação

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregamento

0

Comentarios

0 comentarios

Empregado que se recusar a vacinar pode ser afastado ou demitido; como as empresas podem proceder?

Advogado trabalhista elucida questões sobre os direitos e obrigações em caso de acidente de trabalho