no , , , ,

Contra violência doméstica, Peruíbe intensifica projeto “Somos Marias”

Viatura exclusiva para fiscalizar cumprimento medidas protetivas. (Foto extraída da Internet)

A juíza da 2ª Vara de Peruíbe, Danielle Camara Takahashi Cosentino Grandinetti, idealizou em 2019 o projeto de enfrentamento à violência doméstica “Somos Marias”. A iniciativa busca humanizar o atendimento, estimular as denúncias e criar procedimentos de proteção à mulher em situação de violência, trabalhando em parceria com órgãos do Poder Executivo. Com os casos de violência contra a mulher crescendo durante o isolamento social decorrente da pandemia de Covid-19, a necessidade de proteger as vítimas aumentou e Peruíbe destinou uma viatura exclusivamente para o “Patrulhamento Somos Marias”, realizado pela Guarda Civil Municipal.

Agora, mulheres que estiverem com medidas protetivas em vigor terão uma viatura à disposição, adesivada de maneira a garantir sua identificação, fiscalizando o cumprimento das medidas protetivas e visitando as residências para garantir a efetividade das políticas de proteção. O projeto também envolve a capacitação dos guardas municipais que participam do patrulhamento, com treinamentos físicos e cursos teóricos e práticos para oferecer atendimento especializado a quem necessite. “Durante a quarentena a situação das mulheres vítimas de violência se agravou. A guarda intensificou a fiscalização do cumprimento das medidas protetivas ativas e visita semanalmente todas as mulheres em questão, para saber se está tudo bem, se o agressor as procurou etc.”, conta Danielle Grandinetti. O comandante da GCM, Thiago Cosme, também destacou a relevância da medida.  “É muito importante que o veículo esteja caracterizado. Elas se sentem mais seguras sabendo que há uma equipe da GCM voltada exclusivamente para esse atendimento”. 

Outra providência em consequência da pandemia foi a destinação de um número específico de celular – (13) 99710-4414 – para o atendimento remoto às mulheres em situação de violência. A divulgação do atendimento foi feita por banners espalhados pela cidade e pelo Instagram oficial do projeto (@projetosomosmarias). “A cidade já está sabendo que, pelo celular, passamos todas as informações necessárias para que a mulher saia do ciclo de violência. Prestamos serviço assistencial, atendimento psicológico e, se for o caso, entramos em contato para comunicar o deferimento de medida protetiva”, destaca a magistrada. 

Projeto Somos Marias

O projeto Somos Marias trabalha em diversas frentes no combate à violência doméstica e familiar contra a mulher, oferecendo atendimento multidisciplinar, com profissionais das mais diversas áreas de atuação, e buscando não apenas interromper o ciclo de violência, mas também auxiliar a reestruturação da vida da mulher. No Fórum de Peruíbe, a juíza Danielle Camara Takahashi Cosentino Grandinetti ambientou, no ano passado, a “Sala das Marias”, um espaço de acolhimento inicial, que recepciona mulheres e seus filhos de maneira mais humanizada e empática, seja para aguardar audiência ou atendimento psicológico.

Fonte: TJSP – Tribunal de Justiça de São Paulo

Escrito por Redação

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregamento

0

Comentarios

0 comentarios

TJSP e Ministério Público tratam da realização de sessões de julgamento virtuais

Entrevista discutirá o chamado Estelionato sentimental. Saiba como se prevenir.